DRAGÃO VERMELHO

Sistema de vigilância chinês – O olho que tudo vê

Eduardo Meira · 25 de Junho de 2022 às 09:15

Partido Comunista criou e está ampliando o mais amplo sistema de controle social já visto na história – e tudo indica que ele não ficará restrito à China

Nascemos todos diferentes. Uns mais altos, outros mais baixos. Olhos verdes, azuis, narigão, cabelos crespos, ruivos. Enfim, por um capricho divino, somos todos diferentes. De tão únicos, algumas assinaturas biológicas nos definem até criminalmente com a íris, a impressão digital, a voz e o DNA. Mas as coisas que o tornam o ser humano único também podem ser usadas para rastreá-lo. E, obviamente, o Partido Comunista Chinês explora como nunca essa ideia.

O sistema de controle e vigilância pessoal na China e sua infraestrutura alcançam escalas descomunais. O Big Brother chinês está cada vez mais robusto, mais invasivo e mais próximo da obra 1984, de George Orwell.

Por mais de um ano, o jornal The New York Times teve acesso a documentos de licitações dos governos chineses, tanto nas esferas locais quanto em nível nacional. São mais de 100 mil arquivos com dados que abrangem mais de duas décadas de licitações, coletadas pela China File, uma revista digital publicada pela Asia Society, e que foram analisadas e finalmente divulgadas pelo NYT.  Nos documentos, agências governamentais de todo o país detalham quais produtos e serviços de vigilância precisam adquirir, desde rastreadores de telefone a equipamentos usados ​​para coletar exames de íris e amostras de DNA, além de detalhar o pensamento estratégico que norteia os projetos.

Para ler o texto completo de Eduardo Meira, o nosso especialista em China, assine o BSM.