CINEMA

Maverick não lacra... e lucra

Claudio Dirani · 2 de Agosto de 2022 às 16:26

Sem apelar para questões sociais e ideológicas, filme estrelado por Tom Cruise supera quatro adiamentos, seus rivais da Marvel e já é o 16º mais visto de todos os tempos

 



Nem mesmo Thor – o Deus do Trovão – e a poderosa dupla Marvel-Disney parece capaz de derrubar o caça F/A-18 Super Hornet pilotado por Tom Cruise.

 

Depois de chegar à 9ª colocação entre os mais vistos da história do cinema norte-americano, a mais recente aventura estrelada pelo astro de 60 anos, Top Gun: Maverick já ameaça Jurassic World (2015) e Titanic (1998), ocupantes, respectivamente, do 8º e 7º lugares no ranking histórico.

Com precisos US$650.311.290 arrecadados nas bilheterias de EUA e Canadá (até 2º de agosto), o filme dirigido por Joseph Kozinski também chama a atenção por ser uma continuação, que raramente supera comercialmente o desempenho dos originais. Principalmente no caso de Top Gun: Asas Indomáveis, exibido pela primeira vez no longínquo 1986.

Para se ter uma ideia do intervalo entre o original e sua sequência (de quase 36 anos), quando o primeiro Top Gun estreou na telona, o ocupante da Casa Branca era Ronald Reagan e José Sarney presidia o Brasil.

Não fica por aí. Fora do eixo doméstico, a produção com 2h10 de duração tem voado ainda mais alto, e já é a 16ª entre as mais assistidas de todos os tempos, com números totais (América do Norte + Resto do Mundo) de $1.321.911.290.

Esta contabilidade representa que o filme coestrelado por Jennifer Connelly, Val Kilmer, Miles Teller e Monica Barbaro tem ainda boas chances de superar outros gigantes de bilheteria.

Para ler o artigo completo, assine o BSM.