ANÁLISE POLÍTICA

Defesa da democracia, o novo desafio

Lucas Mafaldo · 2 de Julho de 2020 às 12:11

A maior tarefa do movimento conservador é defender uma democracia autêntica, comandada pelo povo, e não pela tutela de um comitê supostamente técnico

Nos últimos meses, tornou-se inegável a veracidade do aviso que Olavo de Carvalho vem repetindo há anos: o jogo político vai muito além das disputas eleitorais. Prova inequívoca disso é que, apesar de a direita ter tido uma vitória histórica nas eleições presidenciais, o governo está paralisado, enquanto líderes do movimento conservador sofrem perseguições judiciais e campanhas de assassinato de reputação.

Como isso ocorreu?

Parte da explicação está no próprio aparato estatal: o Poder Executivo brasileiro é fraquíssimo, precisando negociar com o legislativo em constante desvantagem. Esse conflito criou o vácuo de poder que permitiu uma inflação exagerada do Poder Judiciário, sufocando a própria democracia brasileira (tema discutido em artigo anterior).

Porém, o problema vai ainda mais fundo. Não basta ocupar cargos políticos para ter o controle efetivo da máquina pública. Os eleitos precisam ter planos claros e montar equipes coesas, com capacidade de comunicação e gestão, para que possam utilizar com eficácia os meios de ação disponíveis. Para fazer isso, é necessário contar com um movimento político maduro, com quadros competentes, uma militância organizada e uma visão estratégica aprofundada pelo debate público (o que inclui livros e artigos, não apenas comentários nas redes sociais)

Isso, no entanto, simplesmente não existe na nova direita ― um movimento que mal sabe ainda o que realmente é.

Nos últimos meses, a grande mídia passou meses batendo na tecla do “perigo autoritário” do “bolsolavismo”. O problema desse tipo de afirmação não está apenas no componente valorativo (falsificar os objetivos e valores dos envolvidos), mas também no componente descritivo. O termo transmite a impressão que existe um movimento organizado ao redor das ideias de Olavo, enquanto, na realidade, mesmo as recomendações mais básicas do professor têm sido repetidamente ignoradas pelas autoridades e distorcidas pela grande mídia...