DEPOIS DA QUEDA

Vôo PS752: as conseqüências políticas da tragédia

Ricardo Gancz · 13 de Janeiro de 2020 às 23:52
Uma análise sobre as perspectivas e possibilidades do Irã, dos Estados Unidos, da Ucrânia e da Rússia diante do desastre que matou 176 pessoas

Não há dúvidas de que o Irã usará a tragédia para culpar os Estados Unidos. O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Javad Zarif, já afirmou que “um erro humano em um momento de crise causada pelo aventurismo americano levou ao desastre”. A máquina de propaganda iraniana fará de tudo para manter essa narrativa e colocar os 176 mortos na conta de Donald Trump.

Contudo, o presidente americano poderá usar os protestos populares no Irã em seu favor. Se Trump continuar dando ênfase aos protestos, apoiando os manifestantes e até mesmo ameaçando o Irã caso façam algo de grave, como já insinuou no Twitter, isso irá pressionar mais ainda o Irã ao mesmo tempo que mostra aos seus eleitores que a morte de Soleimani foi um mal necessário e o regime iraniano está oprimindo seu povo.