POVO NAS RUAS

Rio de Janeiro tem dia inteiro de comemorações pelo bicentenário da Independência do Brasil

Especial para o BSM · 7 de Setembro de 2022 às 19:52

Sem violência, num clima festivo, pacífico e ordeiro, o Rio de Janeiro foi o cenário de uma festa gigantesca de celebração dos 200 anos da Independência, na emblemática Copacabana

Gustavo Reis

As comemorações pelos 200 anos da Independência do Brasil, em Copacabana, não decepcionaram, pelo contrário, foram além das expectativas de muitas pessoas presentes.

O dia começou com tempo bom, o sol se escondia entre nuvens mas prometia aparecer para a festa do dia 07/09, em Copacabana. E foi o que aconteceu. Sem o típico  calorão carioca, o calor era tolerável e o céu azul ao longo do dia ajudou a fazer a fotografia tão desejada pelos apoiadores do Presidente Bolsonaro nesse dia de celebração. 

Foto: Gustavo Reis

Carros de som se espalharam por quase toda a orla de Copacabana. A prefeitura fechou as duas pistas da Avenida Atlântica desde a rua Figueiredo Magalhães, entre os postos 3 e 4, até o Forte de Copacabana, no Posto 6. Lá, um enorme palanque aguardava as autoridades para o desfile cívico-militar.

A Manifestação 

Não é exagero dizer que até as areias de Copacabana lotaram de pessoas para ver o presidente Jair Bolsonaro. No mar, lanchas, jet sky e pequenas embarcações também emolduravam o cenário, junto aos navios da Marinha Brasileira e de países convidados. Todavia, era a aglomeração de brasileiros, de todas as idades, sexo e cores que mostrava a grandiosidade do ato.

Desde cedo, verdadeiras falanges de pessoas em verde e amarelo desciam das saídas das estações de metrô na Siqueira Campos e Cantagalo, lembrando as antigas comemorações de Réveillon, quando ainda não existia a programação especial de final do ano, por parte da Prefeitura do Rio, afim de limitar o número de pessoas.

Com a presença  de vários candidatos de primeira viagem e políticos já experientes, os festejos dos 200 anos foi a oportunidade para muitos desses políticos tentarem reforçar a imagem de Bolsonarista. 

Foto:Gustavo Reis

Mas quem roubou a cena, como sempre, foi o deputado federal Daniel Silveira (PTB), sendo ovacionado pelo público ao chegar na área reservada às autoridades. Outro muito saudado pelo povo foi Luciano Hang, empresário que acompanhava Bolsonaro no evento.

O Presidente Bolsonaro, cercado por candidatos, Ministros e convidados logo se dirigiu ao povo para saudá-lo junto as grades.

Na sequência, banda de fuzileiros navais, paraquedistas e a esquadrilha da fumaça encantava a multidão enquanto o Presidente se dirigia ao maior caminhão do evento, cerca de 150 metros mais a frente.

Com a salva de 21 tiros de canhão de dentro do Forte de Copacabana, a programação do desfile foi oficialmente encerrada e os olhos de todos se voltaram para o caminhão onde a comitiva do Presidente se encontrava. 

Após uma oração do Pai Nosso, o Presidente discursou por cerca de 15 minutos, primeiramente agradecendo a Deus a "segunda vida" que ganhou após  a facada e defendendo a Liberdade do povo brasileiro. Destacou os feitos do seu governo e alertou o desafio imposto ao povo brasileiro após anos de esquerdismo e diante das dificuldades impostas por todo  o cenário  político e jurídico  brasileiro.

Fato é que uma quantidade enorme de pessoas sequer viu ou ouviu o discurso do Presidente. Era impossível transitar entre os carros de som mais próximos de onde Bolsonsro falou ao Público.

Copacabana viveu um dia histórico. Como morador do bairro há  mais de 15 anos, nunca vi manifestação  popular, da ordem que fosse, com tanta gente de dia. Até  os apartamentos da Avenida Atlântica, assim como as piscinas dos hotéis de luxo da orla, que ficam na cobertura dos prédios, também lotaram para ver a festa com a presença do Presidente da República. 

Sem violência, num clima festivo, pacífico e ordeiro, o Rio de Janeiro foi o cenário de uma festa gigantesca de celebração dos 200 anos da Independência, na emblemática Copacabana.

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"