REUNIÃO

“Povo armado jamais será escravizado”

Fernando de Castro · 22 de Maio de 2020 às 19:29

Confira as principais falas do Presidente Jair Bolsonaro durante a reunião ministerial do dia 22 de abril

Confira abaixo algumas falas do presidente Jair Bolsonaro na reunião ministerial ocorrida no último dia 22 de abril. O sigilo do vídeo foi retirado por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, no caso onde apura uma suposta interferência do presidente na Polícia Federal, por acusação do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro:

- “Agora, todos têm que se preocupar com a questão política. E a quem é de direito, tirar a cabeça da toca, porra! Não é só ficar dentro da toca o tempo todo, não! “Estou bem, estou cuidando da minha imagem. A minha imagem está aqui, eu sou bonitinho e o resto que se exploda”. Não! Tem que fazer sua parte. Então é isso que eu tento falar com vocês, que, depois de um certo momento, onde chegar... a cabeça dessas pessoas, fica difícil voltar atrás. Daí, se querem uma crise, é uma crise. Não tenho amor por esse mandato aqui, por essa cadeira de presidente. Zero! Zero!” – Em referência aos ataques sofridos pelos políticos.)
- “Prefeitinho lá do fim do mundo, um jaguapoca de um prefeito, manda prender! Tem que a justiça se posicionar sobre isso, porra! Tem que se posicionar sobre isso abertamente! “Não admitimos prisão por parte de prefeito”... E o decreto. Tem que falar, não é ficar quieto! E quem é de direito aqui... todos os ministros têm que falar isso, não é só o (Ministério da) Justiça, não. Todos têm que falar”.
– Em referência às portarias dos prefeitos que estão decretando prisões em quem descumpre a quarentena.

- “Então é isso que a gente precisa, é pensar além do que tem que fazer internamente aqui. Quando eu explodi o Inmetro, conversei com o Paulo Guedes. Uma...desculpa o linguajar, uma putaria! Putaria o Inmetro! Trocar tacógrafo, trocar taxímetro, botar chip na bomba de combustível. Putaria! Igualzinho à tomada de três pinos. Está muito bem agora lá. A imprensa enfiou a porrada. “Ah, botou um coronel!”, o Coronel é formado pelo IME. Não ia botar um Coronel sem uma formação. E assim nós devemos agir”. – Em referência à demissão de toda a diretoria do Inmetro.

- “É escancarar a questão do armamento aqui. Eu quero todo mundo armado. Porque povo armado jamais será escravizado. E que cada um faça, exerça o seu papel, se exponha. Tem certos blogs aí que só tem notícia boa de ministro, não sei como. O presidente só toma porrada, mas o ministro é elogiado. A gente vê por aí: “Ah, o ministério está indo bem apesar do presidente”… Vai pra puta que o pariu, porra. Eu que escalei o time, porra. Trocamos, sim; espero não trocar mais ninguém. Espero”. – Em referência ao armamento civil e trocas ministeriais.