SEU UBER CHEGOU

Paudemia: é hora de atacar o governo

Motorista do Uber · 23 de Março de 2020 às 11:34

A mídia, a esquerda e os isentões estão mais interessados em derrubar Bolsonaro do que em salvar a vida das pessoas

Esse período de quarentena tem dificultado muito a minha vida. Ainda posso rodar como Uber, mas tô evitando pegar gente desconhecida. Vírus chinês eu só aceito de amigos e parentes. 

Como o Paulo Briguet e o Bernardo estão de quarentena, tô fazendo umas corridas para abastecer a casa deles. 

Podem ficar tranquilos, eles não têm sintomas nem nada, é só precaução. Viajaram bastante nos últimos dias e o momento atual é de prevenção. Até conversei com o Paulo Briguet para saber se estava tudo certo. 

— Claro — disse o Paulo. — Essa quarentena é por vontade própria. Vontade própria da minha mulher… 

O pior é que esse tipo de quarentena já existe faz tempo lá em casa, desde antes do coronavírus. Minha mulher é uma visionária mesmo. 

Hora de começar a trabalhar, que ainda preciso ir na Caixa fazer uma prova de vida. Ainda não tô aposentado, mas é bom ter o registro de que estava vivo enquanto trabalhei. Sabe como é, eu não tenho o salário da Verba Magalhães. 

Coloque seu cinto, higienize as mãos e ligue o GPS. 
 

Nunca vi nem comi, eu só ouço falar

Essa epidemia do vírus chinês tá dose mesmo, hein? A Caixa agora descobriu a intermitência da vida. Ora o sujeito tá vivo, ora tá morto. Ou o contrário. Algum burocrata andou lendo David Hume e percebeu que esse negócio de causa e efeito é bem furado. Se estou vivo hoje, o que garante que estive ontem? Fica aí a cuestão. 

 



Não se espante se me virem no metrô lotado em São Paulo

Encastelado nos Jardins ou no Palácio dos Bandeirantes, John Dóris não perde a chance de dar aquela cutucada com prudência e sofisticação no Presidente. Dóris tá querendo muito levar o Planalto em 2022. O vírus chinês é a plataforma perfeita. Ainda mais porque não pega em político que vive em isolamento e só vê o povo a cada 4 anos. 

 



Zezinho não, mamãe!

A Falha do Seu Paulo não perde a oportunidade do oportunismo jornalístico. Vários hospitais no Brasil and in the world estão testando a medicação, mas o Bolsonaro não pode querer produzir mais. Sabe como é, né? Vai que dá certo. Bom mesmo é esperar, ver que o remédio funciona e não ter estoque. Aí a redação alopra: “Bolsonaro não fez nada para aumentar produção de cloroquina”. Segundo o médico sanitário Wistou Coalcu Namão, o governo foi irresponsável: “Temos que comprar o remédio da China, eles vão salvar o mundo”.


 


Cabeçário!

O culunista da Falha, Fernando Haddad, soltou uma notícula hoje dizendo que as medidas do governo não são suficientes. Tão bonita essa Falha, deixando o menino brincar de presidente. Eu também acho que poderíamos ter feito mais nos últimos 16 anos: mais hospitais, investimentos em saúde da família, aumento da produção nacional de fármacos, redução de gastos públicos. Mas isso não vem ao caso. Bom mesmo era estocar o vento, que agora cada um respirava o seu. 
 


Com a corda mi, do meu cavaquinho

Atos espontâneos ao redor do mundo, em São Paulo as cantorias na janela vão contar com verba estadual. É John Dóris mostrando como se lidera um país. O SIFODEU (Sindicato das Fofoqueiras Desocupadas e Unidas) entrou com ação de ressarcimento por discriminação. “Nós já ficamos na janela desde muito antes dessa crise, mas não somos reconhecidas no edital”, afirmou Olga Kagebina, presidenta do sindicato. 

 




Os estrangeiro eu sei que eles vão gostar
Tem o Atlântico, tem vista pro mar

Verba Magalhães, a senhora dos contratos públicos de serviço, disse que a fronteira do Brasil com o Chile não havia sido fechada pelo decreto do Bolsonaro. Aí alguém avisou, mui discretamente, que a fronteira do Brasil com o Chile tem um detalhe no meio: a Argentina. Jornalista com salário alto não erra, nem pede desculpa. É falha de redação. Uma vez chamei uma garota pra dormir comigo na minha casa de praia. Quando chegamos num barraco em Diadema ela perguntou: “Mas e a casa de praia?”. Ah, meu bem, desculpa, foi falha de redação. Isso nunca me aconteceu antes…

 



Depois da onça morta, até medroso segura

Tiro Gomes, ex-governador do Ceará, resolveu aplicar seus dons escatológicos reversos e mostrar como o passado deveria ter sido. Na falta do que dizer, o poliglota go to puta que pariu de Harvard avalia o governo Bolsonaro como caótico. É difícil entender o que ele quer dizer por isso, já que em fevereiro mesmo o irmão dele, Cid Gomes, estava avançando com uma retroescavadeira contra policiais cearenses. Ciro disse que o ato foi “legítima defesa”. Talvez os policiais estivessem retroescavadeirando de volta. Vá saber….


 

 


Ô Bolsonaro eu vou comer seu bolo

A vida do presidente não está fácil. Teve até processo de deputado petista tentando impedir Jair Bolsonaro de comemorar o próprio aniversário. Para dar ares de uma inteligência rara, a UOL coloca as famigeradas aspas na “festinha”. Presença confirmada? Bolsonaro, Michelle, Laura, uma enteada e talvez mais 2 casais de parentes. Quase uma inaguração da CNN na OCA com 1.300 pessoas, não é mesmo?

 


Dá que eu te dou outra

Segundo Tales Faria, colunista do/da/dx UOL, é Bolsonaro quem quer um confronto com o Congresso. Ele vive criticando os outros, não é mesmo, Maia? Tentar impeachment é só camuflar o óbvio: não tem matéria, não tem forma, não tem rito. Impeachment agora é só uma palavra mágica, cabalística, para enganar os desavisados. Segundo o especialista em Congresso Jalin Habbei Dilado, a tensão no Legislativo é alta: “Na Câmara ninguém está com a retaguarda segura, a coisa pode crescer e se avolumar sem aviso prévio. Será um processo profundo e doloroso”, disse. 

Vou parar por aqui porque preciso meditar sobre essa ação do Congresso. É muito complicado quando a retaguarda política fica desguarnecida. No tempo do Itamar o que deu escândalo foi o racha público de Carnaval. 

Uma dificuldade nos fundos do Legislativo pode derrubar a República. 

Por favor, pegue seu mapa mundi e vá para a fronteira do Chile. Vou ficar um pouco em casa para dar uma corongada na patroa. 

Você chegou ao seu destino. 

Motorista do Uber, fingindo que tosse é peido, em Caraguatatuba-UBA.