TERRORISMO E PODER

Os tentáculos do Hezbollah na América Latina

Lucas Ribeiro · 20 de Janeiro de 2020 às 12:23
Colunista Lucas Ribeiro faz um histórico sobre a aliança criminosa entre o radicalismo islâmico e o socialismo latino-americano, marcada pelo ódio intenso aos EUA e a Israel

As relações entre o Irã e Hezbollah são bem mais complexas e profundas do que o imaginado no debate público brasileiro. O professor de Segurança Global na Universidade de Defesa Nacional (vinculado ao departamento de Estado dos EUA) Ilan Berman escreveu um artigo chamado “What Iran wants in the Americas” e traz detalhes do modus operandi no hemisfério. A República Islâmica do Irã começa suas atividades nos anos 80 através de sua poderosa milícia Hezbollah na Tríplice Fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai. Alguns anos depois eles já mostravam sua capacidade de operação terrorista: o Hezbollah participa do atentado bomba na embaixada de Israel em Buenos Aires, em 1992, assim como na AMIA (Associação Mutua Argentina Israel) em 1994. Segundo Berman, oficiais americanos consideravam que naquele momento Hezbollah tinha se tornado a maior ameaça terrorista na região.