EXCEPTIS

Operação contra o narcotráfico deixa 25 mortos no Rio

Paulo Briguet · 6 de Maio de 2021 às 15:07

Polícia Civil realizou ação de combate ao aliciamento de crianças e menores em favela carioca de Jacarezinho

Vinte e cinco pessoas morreram hoje durante a Operação Exceptis, realizada pela Polícia Civil carioca na favela do Jacarezinho (zona norte do Rio). Desde as 6 horas da manhã, mais de 250 policiais estiveram envolvidos na ação contra o aliciamento de menores pelo narcotráfico. Até o começo da tarde, dez prisões haviam sido feitas, com a apreensão de grande número de armas e até de munição antitanque.

A Operação Exceptis é resultado de uma investigação sobre uma organização criminosa que domina a favela e alicia crianças e adolescentes para os crimes de tráfico de drogas, roubo de cargas, assaltos, sequestro de trens e homicídios. As práticas criminosas e os traficantes envolvidos foram identificados por quebras de sigilo telefônico autorizadas pela Justiça.

Um dos mortos na operação foi o agente André Frias, da Delegacia de Combate às Drogas; ele foi baleado na cabeça durante um confronto. Segundo a Polícia Civil, os outros 24 mortos eram suspeitos de envolvimento com o tráfico. Dois passageiros do metrô e outros dois policiais ficaram feridos durante o tiroteio e foram encaminhados ao Hospital Salgado Filho.

Em nota, a Polícia Civil afirmou que a favela do Jacarezinho vive uma situação de “guerra e terrorismo” ― o que justifica a ação de hoje. Em junho do ano passado, o ministro Edson Fachin, do STF, havia proibido operações de combate ao tráfico nos morros cariocas durante a pandemia. No entanto, o próprio ministro permitiu ações em “hipóteses absolutamente excepcionais”.

Parece ter sido o caso hoje.

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"