OPINIÃO

O vício da aliança secreta

Redação BSM · 8 de Outubro de 2020 às 16:11

Nem todos os críticos da indicação de Kassio Nunes ao STF têm algum interesse político ou cargo para defender. 

O filósofo e escritor Olavo de Carvalho comentou em seu Facebook sobre as críticas feitas ao desembargador Kassio Nunes Marques, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal (STF). Nos últimos dias vem crescendo a confusão em torno da indicação do advogado que chegou ao TRF-1 por indicação da ex-presidente Dilma Rousseff, que sofreu impeachment em 2016.
 

Olavo criticou o que considera um vício brasileiro: a idéia constante de que críticas sempre estão ligadas a algum conluio de opositores ou grupos de inimigos. De acordo com o escritor, ainda é possível, embora seja raro, encontrar pessoas com opiniões desvencilhadas de amizades ou interesses escusos.

Kassio Nunes foi acusado de plágio em trabalhos acadêmicos e de inflar seu currículo com títulos de pós-graduação inexistentes. O desembargador também é criticado por ter assumido a vaga no TRF-1 através do quinto constitucional e por supostamente defender o ativismo judicial ― a interferência ativa do Judiciário nas políticas e ações dos demais poderes. O Brasil Sem Medo divulgou com exclusividade trecho da tese de mestrado em que Kassio Nunes defende a Missão Bairro Adentro, um programa de saúde venezuelano criado por Hugo Chávez e Fidel Castro. Em entrevista divulgada no canal do TRF-1, Kassio Nunes atribui a situação da Venezuela à crise do petróleo e exime de responsabilidade os governos de Hugo Chávez e de Nicolás Maduro.


Leia na íntegra: Em mestrado, Kassio Nunes elogia sistema criado por Chávez e Castro


Jair Bolsonaro defendeu sua escolha durante um encontro com apoiadores na frente do Palácio da Alvorada no último dia 6. O Presidente da República minimizou as críticas: "Ah, ele é comunista. comunista tá cheio no Brasil, é o que não falta", afirmou. Bolsonaro também negou que Kassio Nunes seja desarmamentista e pró-aborto, pautas sensíveis para seus apoiadores na direita.

Também nas redes sociais não demoraram a aparecer críticas a favor e contra a indicação de Nunes. O próprio Brasil Sem Medo foi acusado de ser "petista", "um novo Antagonista" ou de estar ligado à deputada paulista Janaína Paschoal (PSL-SP). Há também quem considere que o presidente "tem seus motivos" para indicar o controverso desembargador ou que Bolsonaro simplesmente "sabe o que faz".
 


Entre os críticos da indicação de Kassio Nunes estão o pastor Silas Malafaia, que atacou o que classifica como "os puxa-sacos e bajuladores" de Jair Bolsonaro. Em vídeo recente o pastor cita os jornalistas Allan dos Santos, Caio Coppola, Augusto Nunes e Rodrigo Constantino  e o ex-senador Magno Malta, que também criticaram a indicação: "É tudo inimigo do presidente, por que tem idéia e se posicionam?" (sic), questionou o pastor. Para Malafaia, o apoio ao presidente continua, mas ele se diz crítico ao que considera um "culto da personalidade": "quem adora cegamente a autoridades e personalidade é a esquerda, que não cultua a Deus", disparou.
 

Enquanto a celeuma em torno da indicação de Kassio Nunes continua sem uma solução aparente, só nos resta reafirmar que Olavo tem razão: Ainda existem umas raras pessoas, presidente, que têm opiniões pessoais em vez de candidatos e amiguinhos.


É justamente por isso que você precisa assinar o Brasil Sem Medo. Por menos de 1 real por dia, você tem acesso exclusivo às nossas matérias, análises, entrevistas, crônicas, podcasts e ebooks. Você pode optar pela assinatura anual, por 290/ano (média de R$24/mês) ou pela assinatura trimestral, por 87/trimestre (média de R$29/mês) e acessar agora mesmo a todo o conteúdo premium do Brasil Sem Medo.