CONTO DE NATAL

O LADRÃO DA DIREITA

Fábio Gonçalves · 25 de Dezembro de 2019 às 10:26
História inspirada em um personagem da vida real: o mendigo-herói da Praça da Sé

“O que dói, mesmo, é a saudade dos filhos. Tenho quatro, duas meninas e dois moços, tudo crescido. E também tenho mulher. Quer dizer, tinha... Coitada. Não merecia, menino, não merecia. Hum… isso aqui tá muito gostoso! Muito obrigado. Imagine só, menino, hoje, até esse momento, não tinha botado nada de sustança na boca. Só essa maldita pinga. Moço, por tudo nesta vida, nunca se meta com cachaça. Isso acaba com o homem. Não tô dizendo que minhas sacanagens foram por culpa da cachaça. Isso, não. Isso, eu sei… Menino, tu já passou um dia sem pôr um pedaço de pão na boca? Pão é sagrado, menino. Deus prometeu pão aos homens.”