ELEIÇÕES 2022

Lula repete que palanque de Bolsonaro parecia o "Ku Klux Klan" e internautas apontam contradição

Letícia Alves · 9 de Setembro de 2022 às 19:42

Lula diz que palanque de Bolsonaro "não tinha povo", e somente uma "elite muito violenta", referindo-se a políticos e empresários

O candidato à presidência da República, Luis Inácio Lula da Silva (PT), voltou a fazer a comparação esdrúxula do palanque do presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro, no dia 7 de setembro, com o Ku Klux Klan, grupo racista e antissemita americano.

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (9), no Rio, o petista disse que o palanque de Bolsonaro era "a supremacia branca" e reafirmou sua comparação. "Eu até comparei que parecia um pouco a Ku Klux Klan, só faltou o capucho, só faltou a máscara. Porque era isso o palanque, é um palanque de uma elite", afirmou. E continuou: "Não tinha povo. Tinha uma elite muito violenta no seu discurso, muito violenta, a começar pelo presidente da República".

Na mesma ocasião, Lula referiu-se ao empresário Luciano Hang, um dos mais bem sucedidos do país e ferrenho apoiador de Bolsonaro, de "Louro José". 

Assista ao momento em que Lula fala disso novamente:

Contradição

Após a divulgação das declarações do ex-presidiário, internautas apontaram diversas contradições em seu discurso.

Primeiro, relembraram que, embora tenha reunido milhões de pessoas, os atos do dia 7 de setembro em apoio a Bolsonaro não registraram episódios de violência, depredação de patrimônio público e privado bandeiras e pneus queimados e outros tipos de atitudes tão comumente registrados em protestos de grupos de esquerda apiados por Lula, como o MST.

O secretário especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Filipe Martins, falou sobre o assunto:

Outro ponto levantado por internautas foi que a campanha de Lula não é um exemplo de "representatividade", muito pelo contrário. Frequentemente ele aparece rodeado de homens e mulheres brancas que fazem parte da elite do país. Veja:

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"