IRRESPONSABILIDADE FISCAL

Lula invoca o fantasma de Dilma na economia

Claudio Dirani · 14 de Novembro de 2022 às 17:36

Ameaças à política fiscal e recessão: analistas e pequenos empreendedores repercutem promessas de Lula para 2023


Quando Joaquim Levy assumiu o ministério da Fazenda de Dilma Rousseff no final de 2014, sua missão já era praticamente impossível: tapar os rombos de uma economia em queda livre, e tentar colocar o país nos trilhos da responsabilidade fiscal, ignorada pelo seu antecessor, Guido Mantega.

Após tentar por quase um ano consertar os erros da chamada Nova Matriz Econômica, Levy acabou demitido, digamos assim, por tentar ser “responsável demais”.

Seu lugar foi ocupado logo em seguida pelo economista formado pela progressista The New School, de Nova York, Nelson Barbosa, ministro que morreria abraçado com Dilma até seu impeachment comprovado pela prática de pedaladas fiscais.

Em tradução livre, o day after à era Barbosa na Fazenda não poderia ter sido mais negativo. Suas medidas, endossadas pelo Executivo petista, empurraram o Brasil ladeira abaixo, com índices altos de desemprego e desaceleração do PIB de quase 4%.

Com o retorno de Nelson Barbosa à equipe de transição e as falas desastrosas de Lula, já se especula pela retomada das políticas desastrosas que deixaram o Brasil estagnado oito anos atrás.