ESQUERDA

Internacional Progressista: A volta dos que não foram

Brás Oscar · 10 de Junho de 2020 às 16:35

Na cúpula da organização estão os maiores ideólogos e líderes políticos da esquerda mundial, não faltando foragidos da justiça, uns amigos de ditadores e políticos envolvidos em corrupção

O programa Análise da Semana, do canal do YouTube Paulo Henrique Araújo, divulgou e comentou um vídeo produzido há pouco mais de um ano, mas que só agora está circulando em vários meios virtuais. É um pré-lançamento da Internacional Progressista.

No vídeo, além da promoção de uma nova organização política com um discurso nitidamente comunofascista, há acusações falsas aos conservadores, propositalmente inventadas para justificar a criação de uma mega-organização da extrema-esquerda com a missão de acelerar uma agenda pró-governo global.

A Internacional Progressista organiza-se nos bastidores desde 2018; entretanto, apenas agora em maio de 2020, em meio à crise do vírus chinês, tornou-se pública e divulgou sua campanha de arregimentação de voluntários para suas fileiras. Na cúpula da organização estão os maiores ideólogos e líderes políticos da esquerda mundial, não faltando, como é de praxe nesses casos, alguns foragidos da justiça, uns amigos de ditadores e dois ou três políticos envolvidos em escândalos de corrupção.

Claramente uma nova encarnação da Internacional Comunista – porém evitando ao máximo em seu website oficial as expressões  “socialismo”, “esquerda”, “marxismo” ou “comunismo” – essa organização tenta se tornar mais soft ao usar o termo “progressista” em vez de “comunista”, e de quebra fazem um falso paralelo entre progresso e revolução comunista; além de slogans falaciosos como “solidariedade”, que é apenas uma deturpação do termo original, e em vocabulário revolucionário significa: “vamos entupir minorias imaginárias de privilégios e chamar estes privilégios de direitos; e quem paga a conta é você, homem normal cristão de classe média”.

Logo de início o vídeo alerta para uma “grande luta global que pode trazer graves consequências”, e para ilustrar essa luta coloca-se em oposição imagens de pobres e trabalhadores comuns de um lado e políticos conservadores, incluindo Trump e Bolsonaro, do outro...