AMÉRICA LATINA

Gustavo Petro nomeia ex-guerrilheiro como chefe de Inteligência

Lucas Ribeiro · 1 de Setembro de 2022 às 17:27

Presidente de extrema-esquerda escolhe Alberto Casanova, antigo militante do M-19, para comandar a Direção Nacional de Inteligência na Colômbia




O presidente de extrema-esquerda da Colômbia, Gustavo Petro, nomeou Alberto Casanova Guzmán como diretor nacional de Inteligência depois da renúncia do almirante Rodolfo Enrique Amaya Kerquelen, que havia sido nomeado por Ivan Duque em 2018. Casanova foi nomeado a partir de 18 de agosto por decreto de Petro conforme menciona o jornal El Espectador. O novo diretor da inteligência colombiana foi guerrilheiro do M-19 juntamente com o presidente Gustavo Petro.

A Direção Nacional de Inteligência é o serviço secreto da Colômbia e tem a função de prevenir e combater ameaças internas ou externas contra a democracia nacional.

O jornal El Colombiano explica que, enquanto estudava Filosofia na elitista Universidad de Los Andes, Casanova militou no grupo terrorista M-19. A trajetória dele é cercada de mistério e pouco se sabe de sua vida. Otty Patiño, ex-militante do M-19, afirmou: “É um tipo inteligente, bem tímido, pouco falante. Muito organizado mentalmente”.  O que se sabe dele e de sua experiência profissional é muito pouco. Entre 2012 e 2015, Casanova trabalhou na prefeitura de Gustavo Petro no Planejamento Distrital e na Caixa de Casas Populares. Lá ele foi consultor em projetos sociais.

As medidas polêmicas do ex-guerrilheiro do M19 não param por aí. Ele nomeou o ex-guerrilheiro Augusto Ramirez para a Unidad Nacional de Protección (UNP) que cuida da segurança de diversas autoridades em situação de perigo de vida. Ramirez ficou conhecido por defender Petro na Corte Suprema no escândalo dos Petrovideos. O partido de oposição Centro Democrático comentou: “É uma grave provocação e deixa uma enorme incerteza sobre a garantias de segurança da oposição, além disso não conta com os requisitos para exercer o cargo.”.

A senadora Maria Fernanda Cabal se reuniu com Gustavo Petro para tratar das ameaças que ela e sua família vêm recebendo constantemente, segundo informa a Revista Semana.

Outras medidas radicais vêm sendo tomadas – como a retirada dos símbolos católicos da igreja do Aeroporto El Dorado (noticiada pelo BSM), ou a saída de 52 generais do exército – mostram essa tendência de ocupação de espaços por aliados da guerrilha dentro da burocracia estatal e seu desprezo com a fé religiosa. O BSM também noticiou a medida de legalização da cocaína, que é amplamente favorável as narcoguerrilhas.

Quando Hugo Chávez chegou ao poder na Venezuela, as primeiras instituições que ele buscou aparelhar foram as forças militares e a Inteligência. E parece que o presidente descrito pela BBC como membro de uma “guerrilha social-democrata” não é tão moderado como faz parecer a grande mídia.

Medidas pró-guerrilhas vêm sendo tomadas como o início de “diálogos de Paz” com o Exército de Libertação Nacional (ELN), que pratica narcotráfico e tem forte vínculos com Cuba. Os “diálogos” e “acordos” de paz feitos na Colômbia e em outros países têm sido invariavelmente favoráveis às narcoguerrilhas e agressivos com as forças de segurança. Os acordos de paz com as FARC garantiram impunidade para criminosos de altíssima periculosidade.

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"