DIÁRIO DE UM CRONISTA

Gina, a indelicada

Paulo Briguet · 11 de Fevereiro de 2021 às 16:22

Atriz da série “The Mandalorian” perde o emprego e é cancelada por criticar a perseguição aos conservadores

No último sábado estávamos em família assistindo à série “The Mandalorian”, que faz parte da saga Star Wars. O episódio intitulado “Santuário” se passa no planeta Sorgan, onde existe uma pacata aldeia de pescadores. O protagonista da série (o misterioso Mandaloriano, interpretado por Pedro Pascal) chega ao planeta com seu pequeno companheiro de viagem, chamado apenas de A Criança. O guerreiro espera encontrar ali um esconderijo perfeito para manter o pequenino a salvo de perseguidores. No entanto, ele logo percebe que a paz não reina no local. Juntamente com Cara (interpretada por Gina Carrano), ele descobre que terá de lutar contra invasores poderosos para salvar a aldeia de pescadores e A Criança.

Chamou-me a atenção, neste episódio, o talento e a beleza da atriz Gina Carrano. Eis que hoje eu descubro mais um motivo para admirá-la: a atriz (e lutadora) não tem medo de expor suas opiniões. Escreveu ela na rede social Instagram:

“Como a história é editada, a maioria das pessoas hoje não percebe que, para chegar ao ponto em que os soldados poderiam facilmente prender milhares de judeus, o governo primeiro fez com que odiassem os seus próprios vizinhos simplesmente por serem judeus. Como isso é diferente de odiar alguém por suas opiniões”.

Isso foi o bastante para que Gina atraísse a fúria das milícias canceladoras da esquerda americana. Fiel ao Livrinho Vermelho da indústria de entretenimento, a Lucasfilm, produtora da série veiculada pela Disney, informou ao público:

“Gina Carano não está atualmente empregada na Lucasfilm e não há planos para ela no futuro. No entanto, suas postagens nas redes sociais denegrindo as pessoas com base em suas identidades culturais e religiosas são inaceitáveis”.

Para os justiceiros sociais dos EUA, Gina foi indelicada demais. Cortem-lhe a cabeça!, já diria uma conhecida jornalista bem-paga.

Em “The Mandalorian”, a personagem de Gina Carraro luta para defender uma aldeia de pessoas comuns e trabalhadoras cuja vida está sendo atormentada por um sanguinário grupo de invasores e uma gigantesca máquina da matar. A história serve como metáfora para a situação que estamos vivendo hoje, quando um sistema gigantesco e cruel persegue e às pessoas que ousam pensar, trabalhar e viver nos próprios termos.

A diferença é que não temos um Mandaloriano para nos ajudar. Vamos ter que lutar por conta própria.

Paulo Briguet é cronista e editor-chefe do BSM.

 


Faça sua assinatura anual do Jornal Brasil Sem Medo! Você paga por 10 meses e leva 12 (290/ano). Garanta seu acesso a reportagens relevantes, precisas e confiáveis, análises inteligentes e bem humoradas, 365 dias por ano.