BIG TECHS

Gigantes da tecnologia tentam se explicar nos EUA

Lucas Ribeiro · 3 de Agosto de 2020 às 16:05

Em audiência, congressistas americanos questionam grandes empresas de tecnologia sobre perseguição e censura a conservadores

Os gigantes da tecnologia prestaram depoimento no Congresso Americano. Os CEOs Mark Zuckerberg (Facebook), Sundar Pichai (Google), Tim Cook (Apple) e Jeff Bezos (Amazon) participaram de uma audiência na última quarta-feira (29), promovida pela Comissão de Justiça da Câmara dos Deputados dos EUA. Eles foram questionados sobre práticas monopolísticas, concorrência desleal e perseguição e censura contra páginas conservadoras.

O representante republicano Jim Jordan, de Ohio, abriu assim a sua fala: “Vou direto ao ponto: as Big Techs estão perseguindo conservadores. Isso não é um palpite, não é uma suspeita, é um fato”. Ele recordou que em 20 de julho de 2020 o Google removeu as páginas de Breitbart e de Daily Caller das pesquisas de notícias. E disse que censuraram tanto o fluxo de informação do Breibart — portal conservador americano — que a visibilidade do site caiu 99%. O congressista assegurou que foram desmonetizados anúncios no site conservador The Federalist e lembrou que a Amazon baniu livro que questiona a quarentena (mas que depois voltou a ser vendido). Da mesma forma, a Amazon impediu doações para a organização pró-vida Family Reseach Council, mas permite que doem dinheiro para Planned Parenthood – organização pró-aborto americana. Jordan também citou o famoso e-mail da executiva de marketing cultural do Google, Eliana Murillo, que usou ferramentas de pesquisa para apoiar a então candidata Hillary Clinton por meio da organização “Voto Latino”. Com relação ao Facebook, o congressista relembrou as denúncias de censura contra a campanha de Trump (em junho de 2020) e organizações pró-vida em 2018.