ANÁLISE

Gabinetes imaginários e inquéritos do fingimento

Cristian Derosa · 19 de Junho de 2020 às 15:41

“Não pode ser verdade”, diz o sociólogo marxista diante de um protesto de um milhão de brasileiros a favor de um candidato da direita. Deve haver alguma explicação marxista para aquela senhora do WhatsApp que anda com bandeira verde-amarela na Paulista. “Só pode haver alguma força misteriosa controlando-a”

A imagem de um povo conservador, levantando-se contra a esquerda, é tão inconveniente e perigosa para a esquerda que é preciso inventar meios de fazê-la parecer artificial e fruto de uma conspiração secreta. Estamos vendo teorias conspiratórias totalmente ficcionais ganhando os jornais e impulsionando inquéritos judiciais persecutórios contra pessoas comuns. E Olavo de Carvalho avisou.

Um texto é escrito e publicado em um blog. Em seguida, seu link é disponibilizado numa rede social. Em pouco tempo, o mesmo link é compartilhado por centenas, milhares de outros perfis, chegando até políticos e influenciadores digitais, que fazem vídeos no YouTube repetindo misteriosamente as mesmas opiniões. O que está acontecendo?

Este poderia ser um processo natural, visto como o andamento usual das opiniões, mesmo para quem nunca leu a obra de Paul Lazarsfeld, que nos anos 1960 falava sobre os graus das opiniões e a figura dos líderes de opinião. O processo de circulação das ideias, de repente, tornou-se um mistério. Parece haver quem acredite ter sido criado por...