RESISTÊNCIA

Fazendeiros holandeses protestam contra a Agenda 2030

Paulo Briguet · 4 de Julho de 2022 às 16:06

Agricultores, pecuaristas e pescadores do país se revoltam contra novas regras para reduzir emissão de gases, que podem levar 30% do setor à falência

 

 

A foto do garotinho de braços cruzados, diante de seus tratores de brinquedo, tem tudo para se tornar uma imagem icônica dos protestos de agricultores, pecuaristas e pescadores holandeses nos últimos dias. Os produtores rurais se insurgiram contra as novas regras ambientais do governo holandês, que impõem severos cortes na emissão de óxido de nitrogênio e amônia nas fazendas do país. As medidas de contenção, decididas pela Suprema Corte da Holanda, podem levar ao fechamento de 30% das fazendas do país, além de desorganizar toda cadeia produtiva e abrir as portas para o desabastecimento. Tudo isso para seguir as ordens da ONU, da Comunidade Europeia e da nefasta Agenda 2030.


Sem fazendeiros, sem comida – diz um dos slogans do movimento. Os agricultores holandeses afirmam que as novas regras comprometem o futuro do lucrativo setor agrícola do país – onde as 54 mil empresas rurais totalizaram 94,5 bilhões de euros em exportações somente em 2019.

A obrigação de reduzir em até 70% das emissões de nitrogênio e amônia significará a diminuição das cabeças de gado e pode levar até um terço dos fazendeiros holandeses à falência.

Nesta segunda-feira (4), os agricultores bloquearam centros de distribuição de supermercados em diversas partes do país. Os pontos vermelhos indicam os protestos; os pontilhados indicam possibilidade de bloqueio de rodovias.
 

 


Em solidariedade aos fazendeiros, os pescadores holandeses bloquearam portos do país, impedindo a navegação de balsas nas Ilhas Wadden (norte do país). Algumas lideranças já falam na adesão de fazendeiros de outros países, como a Alemanha. Afinal, a Agenda 2030 vai prejudicar a agricultura europeia como um todo.




A polícia holandesa disse que interveria caso os manifestantes bloqueassem o acesso ao Aeroporto de Schiphol, o mais movimentado da Holanda.

Repete-se na Holanda aquilo que já havia acontecido nos protestos dos caminhoneiros canadenses: enquanto o governo tenta desqualificar os manifestantes, rotulando-os de “violentos”, a população tem mostrado simpatia aos agricultores.

Até o momento, não há registro de nenhum ato de violência. Os protestos são pacíficos, embora a mídia brasileira já tenha dito que os agricultores estão “armados” com tratores e caminhões.

Isso inclui o menininho da foto?

(Colaborou Ivan Kleber, do Canal PHVox.)

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"