DIÁRIO DE UM CRONISTA

É proibido falar do comunismo

Paulo Briguet · 17 de Agosto de 2022 às 15:48

Juiz eleitoral de Porto Alegre manda retirar cartaz que diz o óbvio
 

 



Um juiz eleitoral de Porto Alegre deu 24 horas para a retirada de um painel gigante que compara as ideias e valores defendidos por patriotas e comunistas. O outdoor, que você vê na foto acima, põe lado a lado a bandeira do Brasil e o símbolo comunista da foice e martelo. Não há uma só referência a candidatos no painel.

Em sua decisão, o juiz Márcio André Keppler Fraga, da 113ª Zona Eleitoral de Porto Alegre, alegou que “a partir de uma racionalidade média, há reconhecer que, no mínimo, ou ainda indiretamente, ou difuso, presente está o viés eleitoral da peça publicitária”.

Em suma, o magistrado admitiu que um dos candidatos da atual eleição está naturalmente associado aos símbolos nacionais, à defesa da vida, ao direito às armas, aos valores cristãos, à liberdade, ao fortalecimento do agronegócio, à diminuição de impostos, ao trabalho da polícia e aos valores da ordem e do progresso social.

Por outro lado, o juiz afirma, na mesma decisão, ser “desnecessária qualquer análise mais pormenorizada sobre seu conteúdo”. Ou seja, não oferece argumento algum para refutar as informações contidas na mensagem.

Socialistas, comunistas e esquerdistas estão naturalmente associados às pautas da legalização do aborto, da soltura de bandidos, do questionamento dos valores cristãos e perseguição à Igreja, da censura para controlar os meios de comunicação, do apoio aos invasores de terra, do aumento progressivo da carga tributária, do enfraquecimento da polícia, da liberação das drogas.

Qualquer pessoa medianamente inteligente sabe que a esquerda defende essas pautas. Mas, como nos últimos 34 anos o anticomunismo se tornou um crime de opinião – censurado nas escolas, ignorado pela mídia e combatido pelos meios culturais –, essa verdade não pode ser dita em público.

Como disse meu amigo e companheiro de bancada do Conexão KGB, o cientista político Silvio Grimaldo, ser conservador consiste em defender a normalidade da vida, ou seja, a condução da existência conforme os princípios que nortearam a civilização. Conservadores amam a Deus, amam a Pátria, amam a família e amam a liberdade. Conservadores respeitam a lei, repudiam o crime, rejeitam a tirania e não toleram o mal.

Nunca foi tão fácil escolher entre dois caminhos. Mas a obviedade dessa conclusão não pode ser dita em público. Está proibido dizer que a grama é verde, o céu é azul e o comunismo é assassino.

Paulo Briguet é escritor e editor-chefe do BSM.

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"