ARGENTINA

Dólar dispara frente ao peso argentino e ultrapassa marca de 100 pesos

Lucas Ribeiro · 18 de Abril de 2020 às 16:16

Presidente socialista Alberto Fernández financia a quarentena com emissão de moeda e adota a fórmula perfeita para o abismo econômico

O dólar no último dia 13 de abril disparou e ultrapassou a marca de 100 pesos uma unidade de dólar e chegou a 110 pesos no dia 15 de abril. https://www.infobae.com/economia/2020/04/15/dolar-hoy-el-contado-con-liqui-se-negocia-cerca-de-los-110-pesos/ Isso em uma das tarifas de dólar chamado “dólar contado com liquidação”, que seria o equivalente de uma cotação mais livre do mercado negro no mercado financeiro. Importante compreender que num sistema hiper-regulado de câmbio, o valor do mercado negro é no fim das contas o valor real.
     
Um breve histórico da moeda argentina se faz necessário para entender a gravidade do problema. Nos anos 90, a Argentina já teve a sua moeda valendo o mesmo que o dólar. Era uma situação deveras artificial, contudo nos ajuda a ter um senso de proporção do momento atual. No boom das commodities dos anos 2000, a situação iria melhorar, em razão do melhoramento dos termos de troca dos produtos agrícolas exportados pelo país platino, mas o problema cambial retornaria nos governos Cristina Kirchner e após o fiasco do governo Macri. A situação na Argentina não parou de piorar entre governos populistas do kirchnerismo ou do liberalismo frouxo do macrismo. 

Hoje o peso argentino vale menos do que 1 centavo de dólar e aproximadamente 20 vezes menos do que o real. A trajetória de destruição do valor da moeda argentina parece não ter fim e vai ser agravada com o keynesianismo socialista do governo Alberto Fernández. O governo sonhava em negociar melhores condições de sua dívida ao mesmo tempo que nunca considera reduzir gastos públicos, aumenta impostos e imprime moeda. Realmente a fórmula perfeita para o fracasso.