CRISTIANISMO

De joelhos diante de Deus

Paulo Briguet · 14 de Janeiro de 2022 às 16:20

Apresentador Marcos Mion dá um comovente testemunho de fé para pais e filhos



Chego em casa depois de minhas curtas férias (que ainda voltarei a descrever em duas partes, não me esqueci), ligo o computador e a primeira que imagem que vejo é a de um homem ajoelhado diante de Deus, dentro de uma igreja. Ao lado dele, estão uma mulher e um jovem, filho do casal, ambos também em atitude de oração. Surpreendo-me ao saber que o homem de joelhos é Marcos Mion, um famoso apresentador de TV. E o que está escrito na legenda da foto me surpreende mais ainda:

“É muito importante que um filho veja seu pai ajoelhado perante Deus.

Ajoelhar é uma atitude de fé por excelência.

Para uma criança, seu pai é um símbolo de força, virilidade, segurança, poder – e vê-lo prostrar-se, no maior ato de humildade e entrega que é ficar de joelhos perante Deus, é uma lição incontestável que Deus está acima de seu pai em todos os aspectos.

Um dia nossos filhos entendem que nós somos apenas humanos aprendendo junto com eles, cheios de dúvidas, passíveis de erros (muitos) e sempre assustados com tantas responsabilidades e decisões cruciais para tomar”.

Nessas poucas frases iniciais, Mion exalta a natureza essencial da oração, o valor da humildade e as virtudes de paternidade ― três coisas que têm sido negadas e muitas vezes hostilizadas pelo mundo moderno. Apenas isso, esse nadar contra a corrente hegemônica, já seria louvável e digno de nota. Mas logo em seguida o apresentador vai mais longe:


“Quando o pai e a mãe perdem o posto de super-heróis incontestáveis, detentores de toda sabedoria, e se tornam apenas pessoas comuns, é o momento que o filho começa a procurar outro tipo de liderança.

Muitas vezes é em quem parece questionar o sistema ao qual ele se submeteu tanto tempo e isso, na maioria das vezes, não tem final feliz. Abre-se a porta para más companhias, descompromisso, comportamentos duvidosos e, o pior de tudo, drogas. Que entram como uma forma rápida e fácil do adolescente achar que é dono de seus atos e que, com os efeitos, entendeu a vida, se libertou. Tragédia”.


Em dois parágrafos, ele aborda um dos problemas centrais na vida das famílias ― a transição da infância para a adolescência/juventude ― e os dois fantasmas que assolam a relação entre pais e filhos durante essa fase: o espírito de contestação e as drogas. Com uma coragem inaudita entre as personalidades midiáticas, Mion toca em assunto tabu entre as classes pensantes: a escala de transgressão que começa na contestação da autoridade de familiar e termina com a escravidão do vício.

Todos os pais e todos os filhos terão, em alguma medida, de atravessar o vale das sombras. E nessa hora Mion demonstra estar ciente de quem é o guia mais seguro para a jornada:


Por isso o que eu faço é deixar claro para meus filhos que quando eles perceberem que tem algo que eu não consigo ou posso resolver, que quando chegar a hora, eles sempre vão ter Deus.

Deus vai resolver tudo que eu não consigo. Deus vai tirar todas as dúvidas e medos que eu não puder. E o mais importante: Ele vai fazer isso pra sempre na vida das minhas crianças, eu estando aqui ou não.

Se houver uma forma, seja qual for, eu vou achar e vou acompanhar a vida dos meus filhos pra sempre, mas se não der, Deus estará lá. Sempre. E eles sabem que este canal está aberto.

Eles sabem que o ‘pai forte, inabalável, que resolve tudo e parece ter todas as respostas” sempre se ajoelhou humildemente perante Deus, ou seja, Jesus Cristo é o caminho. Não existe outro.


Se você é um pai que se preocupa com os seus, dê a eles Jesus Cristo. Pois quando vc não estiver ou não conseguir, seus filhos não vão procurar drogas ou caminhos errados, eles vão procurar Ele!
 #Fé"


A última lembrança que tenho de Marcos Mion é de um programa que ele apresentava na MTV, há mais de 20 anos (muito engraçado, por sinal). Não sei quais foram os rumos que ele tomou depois. Ignoro suas opções políticas, sua vida pessoal ou suas realizações profissionais. Mas de uma coisa eu sei: ele encontrou o Caminho.

Parabéns, Mion.

 


Faça sua assinatura anual do Jornal Brasil Sem Medo! Você paga por 10 meses e leva 12 (290/ano). Garanta seu acesso a reportagens relevantes, precisas e confiáveis, análises inteligentes e bem humoradas, 365 dias por ano.