POLÍTICA

Da bala de prata ao assassinato de reputação

Lucas Mafaldo · 24 de Maio de 2020 às 17:24

A oposição finge escandalizar-se com a linguagem do vídeo para disfarçar que ele é favorável ao governo. A "bala de prata" saiu pela culatra e a única baixa foi a carreira política de Sérgio Moro.

esde a divulgação do vídeo da reunião ministerial, a oposição foi tomada por um surto de fingimento histérico. O motivo é óbvio: estão fingindo escândalo com a linguagem do vídeo para disfarçar que o conteúdo é favorável ao governo. A tal "bala de prata" saiu pela culatra e a única baixa foi a carreira política do próprio Sérgio Moro.

É impressionante a velocidade com a qual o jogo virou. Sérgio Moro era um dos ministros mais populares do governo e um verdadeiro símbolo da luta contra a corrupção. Ao sair do governo fazendo acusações gravíssimas, o algoz-mor do PT parecia prestes a derrubar mais um presidente. Semanas depois, a única coisa que tinha despencado era a reputação do próprio Moro -- o manto de herói nacional caiu para revelar um político de segunda categoria.

O que ficou claro com a divulgação do vídeo foi que Moro decidiu sair do governo por razões políticas: o presidente estava insatisfeito com a sua postura, cobrando mais empenho e exigindo fidelidade às pautas dos seus eleitores. A cobrança era perfeitamente legítima. No mundo inteiro, o papel do primeiro escalão é eminentemente político: os ministros escutam tanto os eleitores como os técnicos, definem com o presidente a estratégia política e defendem a posição do governo diante da opinião pública.

Moro simplesmente se recusou a desempenhar o seu papel. Ele permaneceu passivo e calado enquanto uma série de ameaças se levantava contra o governo e contra os direitos básicos da população. O presidente ficou ...