HISTÓRIA

Conheça a “elite” dos campos de concentração

Pacelli Luckwü · 7 de Janeiro de 2023 às 09:15

Criminosos comuns eram o grupo mais favorecido e privilegiado dentro dos campos de concentração nacional-socialistas. É sempre assim nos regimes totalitários

Não há um dia no Brasil no qual a população não fique estarrecida com a defesa prestada pelo establishment à bandidagem.

Um dos casos recentes foi quando Lewandowski, ministro do STF, posicionou-se favoravelmente ao desencarceramento dos criminosos e ao desarmamento da população.

Claro que isso não se restringe ao Judiciário. Quem esquece da fala de um político, condenado por roubo, dizendo não aguentar mais ver jovens sendo presos pela polícia só por roubar um celular para tomar uma cervejinha?

O brasileiro se pega pensando no que se passa na cabeça das mais altas autoridades do país.

No entanto, a conivência com os criminosos não é o único nem o maior problema. Como veremos, regimes totalitários não só são coniventes com a criminalidade comum, como a incentivam e instrumentalizam.

Para ilustrar esse fenômeno recorrente, vou me utilizar da história alemã, tão rica em lições que podem nos servir. E o futuro próximo que vai se desenhando parece um decalque do passado alemão.