FÉ E PODER

Censurado por Moraes, Bernardo fala sobre o combate de Bento XVI

Paulo Briguet · 13 de Janeiro de 2023 às 17:39

O diretor de opinião do BSM, Bernardo Pires Küster, fará na próxima segunda-feira (16) uma aula gratuita sobre a luta de Joseph Ratzinger contra a esquerda comunista   



No último dia 8 de janeiro, após a invasão dos prédios dos Três Poderes por manifestantes acampados no QG de Brasília, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinou autocraticamente uma série de medidas cujos desdobramentos estamos acompanhando até hoje. Uma das decisões de Moraes refere-se ao jornalista e palestrante Bernardo Pires Küster, diretor de opinião do BSM. Sem apontar os motivos específicos para sua decisão, o ministro determinou o bloqueio do perfil de Bernardo no Twitter.

Ora, Bernardo não incentivou nenhuma invasão e não participou das manifestações. Não teve a menor influência sobre o que considerou uma bizarra e desastrosa tomada os prédios do STF, do Congresso e do Palácio de Planalto. Há meses, pelo contrári, Bernardo vem repetindo insistentemente que não haveria nenhuma virada de mesa na sucessão presidencial. No domingo, ele apenas cumpriu o seu dever como jornalista, utilizando as suas redes sociais para informar as pessoas sobre o que estava acontecendo. Mais uma vez, Bernardo se vê envolvido em um inquérito do STF sem a menor ideia das acusações que pesam contra ele. É uma situação igual à de Joseph K. no romance “O Processo”, de Franz Kafka.

Há, no entanto, uma razão de fundo para que Bernardo Küster sofra esse tipo de perseguição. Ele vem realizando um trabalho de esclarecimento sobre a infiltração do movimento comunista no seio da Igreja Católica. Quem estudou um pouco o assunto sabe que essa ocupação de espaços, promovida pela chamada “Teologia da Libertação”, é uma das principais bases para o projeto de poder da esquerda na América Latina.

Se você quer conhecer melhor essa história e apoiar o trabalho do Bernardo, precisa assistir a “O Combate de Bento XVI”. Trata-se de uma aula sobre as batalhas do grande papa e teólogo Bento XVI contra a infiltração comunista na Igreja e a grande convocação que ele deixou para todos os cristãos antes da sua morte.

É uma oportunidade valiosa para que você possa entender o contexto político revolucionário que estamos vivendo, dado que a Teologia da Libertação foi um dos principais responsáveis pela criação e a sustentação do PT, partido que hoje subiu ao poder.

A aula vai ao ar na próxima segunda-feira, 16 de janeiro, às 20 horas. É gratuita, ao vivo e não ficará gravada. Para participar, basta clicar neste link: https://obomcombate.com/bento-xvi/



 

 


"Por apenas R$ 29/mês você acessa o conteúdo exclusivo do Brasil Sem Medo e financia o jornalismo sério, independente e alinhado com os seus valores. Torne-se membro assinante agora mesmo!"