Análises

FORO DE SÃO PAULO
Lucas Ribeiro

A reaproximação do governo argentino ao chavismo e o movimento interno de calote aos credores do FMI apontam para a retomada de uma política externa e interna cada vez mais radicalizada. 

ARGENTINA
Maria Eugênia de Assis e Maria Laura de Assis

Enquanto a esquerda argentina repudia as atrocidades ocorridas 45 anos atrás, cala-se diante das mesmas infrações aos direitos humanos cometidas pelo atual governo.