COVID-19

A segunda onda da ditadura sanitária na Europa

Brás Oscar · 22 de Outubro de 2020 às 16:51

O Velho Continente mergulha numa nova fase de abusos e autoritarismos por conta do vírus chinês. E quem reclamar é negacionista e genocida

Da Polônia a Portugal, a Europa mergulha numa segunda onda de abusos e autoritarismos por conta da gripe chinesa. O número de mortes em relação aos contágios registrados caiu drasticamente, mas vários governos resolveram voltar a tomar medidas de restrição de liberdade, transformando boa parte do Velho Mundo numa ditadura sanitarista. Nas capitais, iniciam-se protestos ignorados pela grande mídia.

Na Polônia, começou nesta segunda-feira (19) o estado alerta “Zona Vermelha”, que determina o encerramento de bares e restaurantes após as 21 horas, permitindo-se apenas entrega de pedidos após esse horário. Fumar ou consumir bebidas alcoólicas na rua após as 20 horas também passa a ser ilegal. As escolas retornaram ao sistema de aulas on-line, igrejas e comércio passam a ter limite de lotação reduzido, academias e piscinas estão totalmente fechadas e as máscaras passam a ser obrigatórias até mesmo nas ruas...