REFORMA POLÍTICA

A função estratégica do voto distrital

Lucas Mafaldo · 29 de Julho de 2020 às 15:53

A adoção do voto distrital vai reconectar o povo com o parlamento. E esse novo parlamento será o mecanismo mais eficaz para impedir os abusos dos demais poderes
 


 

Enquanto o noticiário está ocupado com os últimos abusos de alguns membros do Poder Judiciário, é difícil direcionar nossa atenção para reformas políticas de longo prazo, pois elas começam a parecer abstratas demais diante das trincheiras de batalha do dia a dia.

No entanto, um movimento político inteligente deve possuir uma estratégia com elementos de curto e longo prazo. No curto prazo, entrar na Justiça contra adversários que estão incorrendo em comportamentos criminosos é uma prioridade. No longo prazo, é preciso planejar estratégias para criar novas bases de poder.

É por isso que insisto tanto na importância do voto distrital. Essa reforma política pode ser um elemento importantíssimo dentro da estratégia geral do movimento conservador. Ao dividir o país em uma série de distritos eleitorais com seus representantes locais, o voto distrital reconecta o povo com o parlamento. Por sua vez, esse novo parlamento "democratizado" será o mecanismo mais eficaz para impedir os abusos dos demais poderes.

Como expliquei anteriormente, o voto distrital muda totalmente a dinâmica do jogo eleitoral, gerando uma nova combinação de vencedores e perdedores. Um movimento político inteligente saberá ativar esse mecanismo e adaptar seu discurso para vencer as eleições na nova configuração...