SOROS REPORT

A esquerda globalista e os pré-crimes de Bolsonaro

Brás Oscar · 9 de Julho de 2020 às 14:46

Ilona Szabó faz lembrar a obra de Philip K. Dick, na qual o Estado prende as pessoas por crimes que elas “ainda” não cometeram

Ilona Szabó, que quase fez parte do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, por indicação de Sergio Moro, publicou em sua conta no Twitter que não deseja que a gripe chinesa mate o presidente, mas deseja “(…) que Bolsonaro seja responsabilizado pelos inúmeros possíveis crimes que cometeu.” No mundo histérico da esquerda, onde decide-se o futuro dos homens com base na ideologia, Bolsonaro já é culpado por crimes hipotéticos; logo, deve ser punido.

Dona Ilona escreve isso como alimento para a narrativa de sua turma: acusar o presidente de criar uma ditadura imaginária… uma ditadura que permite ao judiciário encarcerar ilegalmente jornalistas que criticam ministros opositores do Presidente, e permite que gente como Ilona e Schwartsman falem livremente e levianamente contra o “ditador”, com a mais folgada certeza da impunidade.